ETAPA AUTORADIO | SAN MARINO – OKM

E quem diria...um texto meu saindo rápido, hein?

E ainda mais rápido que meu retorno as pistas!

E mais rápido que eu nas pistas!!

Mas isso não vem ao caso, estamos aqui para falar de mais essa etapa sensacional do OsKarteiro em Paulínia, essa pista que na primeira prova por lá esse ano trouxe uma chuva que proporcionou uma bela prova, e tudo indicava que iria se repetir! Durante toda semana todos os olhos estavam na previsão de “50%-60% de chances de chuva forte”.

Os mais pesados já se animaram, já teve magro pensando em colocar 10kg a mais e assim fomos até que...Car****, que sol! Muito diferente do que todos aguardavam a chuva passou longe e o que se viu foi a galera tomando uns bons gatorades e água (uma pena o pessoal da light não tomar uma cervejinha antes pra me ajudar). E assim foi a prova d’AsKarteira (que infelizmente eu perdi) e logo após a melhor prova do dia com uma corrida incrível, cheia de emoção e..., ok, parei, teve a corrida da Light e então vamos para a corrida da Master!

Karts na pista e a disputa foi na classificação foi pegada. O placar não parava de se alterar em todas as posições, ninguém estava garantido e, na verdade, a pole foi definida na última volta, com Flávio Chaves garantindo com 46.210 seguido por Filipe Paro com 46.612. Thiago Meira, Rodrigo Santos e André Francisco ficaram todos separados do Paro num intervalo de 0.3s, já mostrava um pouco de como ia ser a corrida!

Grid formado e aí rolou um momento: Que porra é essa?

Até agora não entendi (e pra ser sincero não perguntei) o que rolou que a galera toda saiu por um atalho do lado do grid e montaram o grid novamente e aí sim começou o espetáculo...

O autor original do post querendo aparecer na foto principal

Logo de cara Flávio largou bem e manteve a ponta, rolou ali uma certa torcida por um replay da etapa de maio, infelizmente não rolou, mas a vida não foi fácil, Paro seguiu de perto e na segunda volta já colocou de lado garantindo a ponta...

Aqui eu faço um parênteses, não é segredo que eu sou grande admirador da pilotagem do Flávio e do Paro. Poderia escrever por longos parágrafos sobre a disputa que trocava de posição a todo instante mas não vale a pena, o onboard de ambos é uma verdadeira aula de como atacar, como defender e, acima de tudo, como fazer isso da forma mais limpa possível.

Restando duas ou três voltas, Flávio assumiu a ponta e conseguiu abrir um pouco do Paro, garantindo mais uma vitória (a segunda seguida) e ainda o único do sábado a baixar de 46 segundos, fazendo a melhor volta em 45.940s e Paro chegou logo atrás a 1.3 seg.

Pelotão da frente em suas brigas particulares

Na disputa pela terceira posição tivemos um lento andando rápido e o André Francisco, que ressurgiu no seu auge depois de várias corridas meio apagado. Thiago Meira e Tchesco andaram colados a prova inteira e protagonizaram o segundo duelo a se acompanhar. Andaram colados pela corrida inteira com Meira se defendendo o tempo todo de um Tchesco agressivo que dava gosto de assistir. Não houve troca de posição, mas mesmo assim foi uma disputa sensacional! Parabéns aos dois pilotos. Meira garantiu a terceira posição e Tchesco a quarta posição, já respirando mais aliviado da linha de corte para a Light.

Aqui abrimos o parágrafo para a única polêmica dessa etapa, durante boa parte da prova três pilotos andaram numa bela tocada. Junior, Caio e Rodrigo proporcionaram a terceira batalha para se acompanhar. Durante boa parte da prova Caio andou na frente seguido de perto pelo Rodrigo por muitas voltas e então o Junior chegou para dar uma acalorada na disputa. Não lembro ao certo, mas sei que rolaram muitas trocas de posição. Aqui cito então a polêmica do dia, não sei os detalhes, mas aparentemente Caio e Rodrigo se estranharam na pista após Rodrigo interromper várias voltas empurrando e tomar a posição do Caio e assim iniciar uma disputa mais ferrenha. Como não acompanhei, não sei exatamente o que aconteceu mas os dois devem ter se enroscado, pois Rodrigo tomou uma advertência por algo em cima do Caio, e acabou caindo e fechando a prova em décimo lugar, Caio também perdeu tempo e perdeu a posição para o Júnior, que abriu uma boa distância. Junior fechou na quinta colocação e, além de passar o Caio na pista, passou também por ele na Copa e está classificado para a final.

Caio e o famoso sinal do "me empurra que depois não te empurro"

Saindo lá de trás, da décima segunda posição, em mais uma prova consistente, Cássio veio escalando de forma gradual o pelotão e se aproveitando de toda a briga, assistiu de camarote a confusão e garantiu seu pódio, chegando na sexta posição. Cássio vem de bons resultados e garantindo a boa fase, subindo bem na tabela.

Logo atrás veio Ricardo Bunnyman, que fez a sua classificação, mas aparentemente não gostou muito do tempo que fez, que lhe garantiu a décima quinta posição e trocou de kart na última volta e aparentemente foi uma decisão acertada. No começo da prova segurou muito a galera, mas depois foi abrindo e escalando o grid, colado no Cássio, se aproveitou da treta e não tomou conhecimento, garantiu uma sétima colocação jogando então o Caio Terra para oitava posição, após toda a briga.

Os ânimos se exaltaram após a corrida, mas fontes seguras indicam que já saíram para um jantar a dois regado a vinho. Está tudo em paz novamente.

Na nona posição chegou Fernando Portella, que fez uma prova regular, porém ao fim perdeu o freio e complicou bem sua prova. Perdeu tanto o freio que quando a prova acabou foi parar nos pneus no fim da reta, “acabou o freio” não foi no sentido figurado.

Fábio Sugano fez uma boa corrida e brigou por muito tempo com o Zambom, infelizmente na última volta acabaram se estranhando, num incidente de corrida, a meu ver, e foi jogado pra fora, não chegou a perder posições, mas terminou apenas em décimo primeiro lugar, após largar da nona posição.

Fábio Prado largou do fundo e escalou o pelotão de forma regular, se aproveitando das oportundiades, saiu de décimo seto e fechou a prova em décimo segundo.

Em décimo terceiro chegou o homenageado do dia, Fábio Ramiro, nosso querido FabioCa completou sua 150ª corrida no OsKarteiro! Uma marca que poucos vão conseguir alcançar tão cedo. Um cara que tive prazer de conhecer na minha primeira corrida de kart, em janeiro de 2018, na Speedland, um cara na dele, sempre sorrindo, quieto, mas sempre com comentários certeiros e engraçadíssimos. Um cara que sem alarde cativa qualquer um e tem uma presença que é um dos pilares desse grupo incrível. Parabéns, FabioCa, as palmas e reconhecimento são merecidos!

A lenda FabioCa

Uncle Leo terminou onde começou, chegou em décimo quarto em uma corrida atípica, sempre brigando no meio do pelotão, dessa vez ficou pro fim.

Márcio Kuwakino não vem fazendo uma boa temporada esse ano, irregular largou em décimo terceiro e terminou a prova em décimo quinto, em nada lembra o piloto com um grande ritmo do ano passado, a temporada 2020 está aí já e torcer para voltar a apresentar a velocidade de sempre.

Fechando o grid temos Antônio Zambom que largou no meio do pelotão, na oitava posição, mas fez uma primeira volta ruim e após um pequeno erro, que não foi perdoado, perdeu muitas posições, após isso conseguiu se recuperar e brigou por muito tempo com Sugano. Na primeira curva da última volta tentou arriscar uma ultrapassagem, mas acabou não segurando o kart, não conseguiu evitar o contato e jogou Sugano para fora, na tentativa de devolver a posição e não prejudicar o piloto, acabou se atrapalhando e rodou, perdeu algumas posições e terminou em último.

Francisco Levi desde a classificação mostrou um desempenho muito ruim, acabou não trocando de kart e o equipamento fraco ficou evidente ao longo da corrida, acabou abandonando após 14 voltas e com um tempo muito abaixo dos companheiros.

Eu havia prometido ao Cássio apenas um textinho sobre a corrida, mas a prolixidade não me permite isso, acompanhado de algumas ampolas e o resultado está ai!

A próxima etapa já está batendo na porta, para finalizar esse ano que foi incrível e trouxe disputas de todos os lados.

O título ainda está aberto, mas com uma mudança improvável, Filipe Paro está 19 pontos na frente de Flávio Chaves e para perder o título não poderia ir à última etapa e Flávio chegar em primeiro.

Em compensação da segunda até a quarta posição a diferença é de apenas 5 pontos e tudo está aberto. Flávio hoje tem 147 pontos, seguido de Caio com 143 e Rodrigo com 142, por fora na quinta posição tem Junior com 135.

Na parte final da tabela o resultado já parece mais certo. FabioCa infelizmente não tem como se salvar e já está na Light ano que vem, Rodrigo Vilela precisa de combinação de resultados e Zambom não pode bobear, caso Vilela vá correr. Caso Vilela falte, já temos os pilotos que serão lateralmente movidos.

Na disputa por equipes temos uma guerra aberta, na frente temos Ferrault com 416 pontos, seguido de perto por RedBurros com 404, que sente a Ruimlliams no cangote com 402 pontos. Zebralaren está com 301 e na lanterna está a Ferradis com 266.

A próxima etapa promete emoção por pilotos e por equipes...que etapa será, amigos, que etapa!

Onboards

Filipe Paro

Fabio Prado

Antonio Zambon

Flávio Chaves

Fernando Portella

Leopoldo Rabelo

André Francisco